MASTERCLASS \\ 

O CASTING NO CINEMA, COM PATRÍCIA VASCONCELOS

23 SET - 16h00 - Auditório Soror Mariana
 

Membro da Casting Society of America (CSA)

Membro da International Casting Directors Network (ICDN)


A celebrar 30 anos de percurso profissional, Patrícia Vasconcelos irá falar sobre tudo o que é relacionado com Casting em geral.
A ideia é poder responder a todas e quaisquer perguntas que tenham a ver com o mercado nacional e não só, por exemplo: agentes, agências, preparação de material, como fazer chegar um cv, o que procuram no geral, como funciona, gerir expectativas, o sonho de ser actor, o que deve ou não fazer, etc…

Patrícia Vaconcelos, nasceu em Lisboa em 1966 e viveu fora do país entre 1976 e 1988. Lança-se como “Casting Director” em 1989. É responsável pelo casting de inúmeros filmes, nacionais e estrangeiros, programas e séries para a televisão, bem como de mais de uma centena de filmes publicitários.

p vasconcelos.jfif

Em cinema, trabalhou com inúmeros realizadores tais como: Marco Martins (“Alice” e “How to draw…”), Raul Ruiz (“Mistérios de Lisboa”), Joaquim Leitão (“A esperança está onde menos se espera”, “Tentação”), António-Pedro Vasconcelos (“A Bela e o Paparazzo”, “Call Girl”, “Jaime”, “Os Imortais”, “Os Gatos Não Têm Vertigens”, “Amor Impossível” ,"Parque Mayer"), Luís Filipe Rocha (“Sinais de Fogo”), Richard Curtis (“Love Actually”), Leonel Vieira (“Zona J)”, Patrice Chereau (“La Reine Margot”), Carlos Coelho da Silva (“O Crime do Padre Amaro”), Luís Galvão Teles ("Elles", "DOT.com", "Gelo", ”Refrigerantes (e Canções de Amor )”), entre outros.

Em televisão destaca-se o seu trabalho para os telefilmes da SIC, entre outros: “Amo-te Teresa”, “Facas e Anjos”, “Mustang”, “Alta Fidelidade”, “Lampião da Estrela”, “Aniversário”, etc… Ultimamente tem, em parceria com a RTP, realizado castings das séries e telefilmes: “Inspector Max” , “Conta-me Como Foi”,  “O Mistério da Estrada de Sintra”, “1986”, e a série de 13 Contos da Marginal Filmes.

Ao longo dos anos tem sido convidada a ensinar Técnicas de Casting na ESTC, ACE no Porto, EPTC. No verão de 2000 organizou juntamente com Elsa Valentim os Act – Workshops Iniciação às Técnicas do Actor para Cinema e Televisão, iniciativa essa que deu origem à ACT – Escola de Actores fundada em 2001.

Em 2010 realizou o seu primeiro documentário sobre Raul Solnado, para a RTP. Autora e apresentadora do programa televisivo “Sei Quem Ele É”, que já conta com três temporadas, transmitido pela RTP1. Tem uma rúbrica na radio Antena 1, chamada “ Pelo Sonho é que Vamos”.

É fundadora e membro da Direcção da Academia Portuguesa de Cinema, onde, entre outras iniciativas, criou e desenvolveu o projecto Passaporte,  contando com quarto edições realizadas, dando a conhecer os actores portugueses a reconhecidos casting directors de todo o mundo.

INSCRIÇÕES GRATUITAS

Para te inscreveres, envia um e-mail, indicando o teu nome, contacto e profissão, até ao dia 18 de Setembro, para: producao.festivalfike@gmail.com

A SITUAÇÃO DO CINEMA EUROPEU E MUNDIAL NO CONTEXTO ACTUAL *

"O cinema europeu tem um grande potencial para directores e cineastas salvaguardar e valorizar. Tanto pela sua longa tradição como pelos jovens emergentes que iniciam o seu percurso artístico. Mas existe um 'mas' (…) “Isso muitas vezes é sacrificado por lógicas de mercado que cada vez mais têm a ver com produtos do que com as emoções que a beleza e a arte do cinema devem despertar no ser humano. E certamente os sinais que vemos não são positivos"  - Emir Kusturica

 

cancelado.jpeg

EMIR KUSTURICA

Cineasta, argumentista, actor e músico, nascido em Sarajevo, Emir Kusturica é autor de uma filmografia singular, marcada por um intenso realismo mágico, celebrativa da vida e do cinema, assombrada, desde os anos 1990, pela dissolução da ex-Jugoslávia e pela Guerra dos Balcãs.

 

Depois de estudar em Praga na famosa FAMU, a escola de cinema estatal checa, Kusturica realiza duas longas-metragens que lhe dão imediata notoriedade e reconhecimento: Lembras-te de Dolly Bell? (evocação da Jugoslávia dos anos 1960, Leão de Prata para uma primeira obra no Festival de Veneza, em 1981) e O Pai Foi em Viagem de Negócios (Palma de Ouro em Cannes em 1985).

 

O Tempo dos Ciganos (1988, o seu primeiro grande sucesso de público) e Arizona Dream (1993, realizado nos Estados Unidos, uma desconstrução tragicómica do sonho americano, com Johnny Depp, Faye Dunaway e Jerry Lewis) abrem-se definitivamente à apaixonada exuberância da sua visão obsessiva do cinema e do mundo, herdeiras das de um Fellini.

 

emir1.jfif

O universo de Kusturica, povoado por uma galeria culturalmente complexa de personagens desfavorecidas, bizarras ou à margem (de diversas etnias, religiões e nacionalidades) e por uma miríade de animais invadindo a acção, desenha-se na dualidade de realidade e fantasia (frequentemente, as histórias contadas são verdadeiras e acendem o rastilho da imaginação dos filmes), a que o onirismo da levitação, a sensualidade dos desejos, a intensidade operática e a euforia da música conferem uma audácia e energia sem par.

 

Underground (o seu filme mais célebre, com o sugestivo subtítulo “Era uma Vez um País”), parábola da história jugoslava, arrecada uma segunda Palma de Ouro em Cannes, em 1995. Gato Preto, Gato Branco (1998, com música composta, pela primeira vez, pela No Smoking Orchestra, a banda de garage rock com influências punk e folk, fundada em 1981, a que Kusturica se juntou em 1986 e que assinaria desde aí a banda sonora dos seus filmes), recebe o Leão de Prata para a Melhor Realização no Festival de Veneza.

 

Em 2001, realiza Super 8 Stories, um documentário sobre a No Smoking Orchestra e em 2004, A Vida É um Milagre, que ganha o César 2005 para melhor filme da União Europeia. Depois de um outro filme de ficção, Promise Me This (2007), lança em 2008 Maradona, um documentário em torno da história do famoso jogador de futebol argentino.

 

On The Milky Road (2016), seu mais recente filme, estreado no Festival de Veneza, primeira longa-metragem em nove anos, junta o próprio Kusturica, no principal papel masculino, a Monica Bellucci, numa peculiar (e real) história de amor, com a memória da Guerra dos Balcãs ainda em fundo. Em 2020, realiza o documentário EL PEPE, UMA VIDA SUPREMA, sobre José Mujica, presidente do Uruguai de 2010 a 2015, guerrilheiro, preso político e que teve uma carreira intensa. Descrito por muitos como o chefe de Estado mais humilde do mundo, Mujica doava grande percentagem do seu salário para a caridade e o seu amor pela vida e pela natureza estão no centro de sua ideologia política. Através de sua trajectória, constrói-se uma narrativa sobre amor, militância, sustentabilidade e empatia.

 

Kustica é um dos 8 únicos directores a terem recebido a Palma de Ouro no Festival de Cannes duas vezes. Os demais são Francis Ford Coppola, Luc e Jean-Pierre Dardenne, Michael Haneke, Alf Sjoberg, Shohei Imamura e Bille August.
 

A edição comemorativa do vigésimo aniversário do FIKE, tem a honra de poder contar com este reconhecido cineasta que realizará uma Masterclass sobre o cinema nestes tempos conturbados em que vivemos.

  * EVENTO CANCELADO POR MOTIVOS ALHEIOS À NOSSA VONTADE